Because I love you.
“Eu não sei se você já se sentiu assim. Querendo dormir por mil anos. Ou simplesmente não existir. Ou apenas não estar ciente de sua existência. Ou algo parecido. Eu acho que querer algo assim é muito mórbido, mas eu acabo tendo esse tipo de desejo quando estou mal. É por isso que estou tentando não pensar. Eu só quero que tudo pare de rodar.”
“Espero que o teu orgulho e o teu egoísmo barato te aqueça nas noites frias em que você chamar meu nome e eu estiver longe o suficiente para não poder te ver e não querer te ouvir.”
Gabriel Barboza. 

“Tá doendo? Porque essa é a minha intenção. Não me entenda mal, mas eu sofri muito na tua mão e é quase que um prazer te ver sofrendo assim. Lembra de quando eu disse que doía? Acho que agora você concorda comigo. Porque não é fácil entrar na vida de uma pessoa, agir como se ela fosse a sua favorita no mundo e depois simplesmente ir embora. E toda vez que eu dizia que te amava, você respondia que isso era coisa da minha cabeça. E eu sempre sussurrava para mim mesmo: Não é da cabeça, é do coração.
Pedro Pinheiro.   

“Você encontra milhares de pessoas e nenhuma delas te tocam, e então encontra uma pessoa, e sua vida muda. Pra sempre.”
Amor e Outras Drogas. 



“Meu nariz está sangrando. Fui conferir há poucos minutos, na pia do banheiro do meu quarto. Isso vem ocorrendo desde a semana passada. Tenho preguiça de pesquisar algo que tenha a ver com sangramento do nariz e minha internet não colabora. Bom, não estou nem aí, para falar a verdade. Nunca me preocupei muito com minha saúde. Ano passado quase tive um ataque cardíaco, o médico alegou que eu fumo demais. Beleza. Tanto faz, não gosto muito da vida. Suicídio parece ser uma bela opção, mas tenho contas a prestar com a minha família, amorosamente falando. Porém, isso é meio estranho de dizer, pois não consigo olhar para meus pais e falar algo do tipo: “Pô, amo vocês”. Sou um babaca que ama demais e pouco fala ou demonstra, e isso me frustra desde o dia em que comecei a ser solitário. As namoradas que tive foram embora por esse motivo. Todas elas, sem exceção de nenhuma, saíram pela porta da frente, balbuciando algo em relação a minha falta de consideração e afeto e se queixando por ter ficado comigo por muito tempo. Eu já fui uma pessoa bacana e cheia de amigos, mas alguma coisa fez com que eu me afastasse de tudo isso. E o pior, eu não sei que porra de coisa é essa. Hoje olho no espelho e observo essa minha inércia, que não me atrapalha e nem me dá prazer, apenas servindo de indiferença no contato com a vida. Acostumei a viver assim, eu acho. Está caindo sangue sobre o papel, e isso não é nenhuma alusão poética. Agora, se me dão licença, tenho que lavar o meu nariz.”
Junior Lima.



“Amor é desobedecer Newton e dois corpos ocuparem um mesmo espaço, um mesmo tempo, um mesmo abraço.”
Luara Quaresma.  

“Eu guardo tudo aqui dentro de mim, guardo até coisas que eu não queria.”
Suicidou. 

“Olá, garçom. O que eu desejo? Bem, procurei no cardápio, mas deve estar em falta. O que seria? Bem, o pedido é grande. Não tem problema? Ok, lá vai. Eu quero alguém pra amar, garçom. Alguém que não me suporte, que não me aguente, mas sim alguém que me ame. Também quero alguém que nunca me mande ir, e que também nunca vá. Se não for muito, vê lá também se sinceridade está inserida na fórmula. Quero também que venha com bula, pra eu saber do que me sacio. Peço muito? Oh, me desculpe. Se eu quero um de cada? Não, não, pelo amor de Deus, quero tudo isso em apenas uma pessoa. Ah, é impossível? Eu bem que já desconfiava. Um Whisky? Ah, sim. Duplo, por favor.”
Casebre.   

“Amor é o que acontece uma vez a cada dez anos.”
Bukowski. 

“Não é que eu não queira falar contigo. Tem dias que eu realmente só quero ficar quietinho, na minha entende? Assim eu evito aborrecimentos e decepções.”
Diego Castro

“Naquela noite deitei na cama e chorei até me acabar, ao mesmo tempo em que me certificava de que ninguém ouvia.”
O Diário de Anne Frank.  

“Aí o telefone tocou. Deixei tocar. Nunca atendia ao telefone na parte da manhã. Tocou cinco vezes e parou. Eu estava sozinho comigo mesmo. E, por mais repugnante que fosse, era melhor que estar com alguém, qualquer um, todos lá fora fazendo seus pequenos truques e piruetas. Puxei as cobertas até o pescoço e esperei. Decidi ficar na cama até o meio-dia. Talvez então a metade do mundo estivesse morta e ele seria menos difícil de enfrentar.”
Charles Bukowski.  

THEME